PERSPECTIVAS

Olá galera! Hoje vou falar um pouco sobre as perspectivas do jovem no mercado de trabalho.

Pode-se dizer que buscar a felicidade profissional é aprender a trabalhar com paixão. Quando vivemos dessa forma acrescentamos significado, satisfação, paz e objetivo às nossas vidas. O problema é que, na maioria das vezes, não sabemos qual é essa felicidade, e também qual é o melhor caminho para atingirmos o objetivo mais elevado da nossa vida.

Muitos buscam uma profissão orientada pelos desejos dos seus pais, ou porque acreditam que irão ganhar muito dinheiro, pois se trata da profissão do “futuro”, e, muitas vezes, cedo ou tarde descobrem que esse não é o caminho certo. Todavia, à medida que aprenderam a utilizar o pensamento criativo perceberam que era possível dar um sentido às suas vidas, ter um objetivo de vida que realmente os estimulasse e, principalmente, ter o prazer de viver, conviver com pessoas e trabalhar.

Algumas dificuldades que os jovens da atualidade estão tendo para ingressar no mercado de trabalho:

1º – As empresas buscam por profissionais experientes;
2º – O sistema educacional não prepara o jovem para o mercado de trabalho;
3º – As empresas ainda possuem uma visão antiquada no que seja a relação ao papel do trabalho na vida das pessoas;
4º – Os jovens – em sua maioria – não possuem um plano de carreira, não sabem quais são os seus talentos, não sabem em  quais empresas gostariam de trabalhar.

Mitos e verdades sobre o trabalho jovem:

Mito: Para eles é mais  difícil ingressar no mercado de  trabalho.

Para cada dez  jovens que procuram  emprego, nove são  contratados ao longo  do ano. Entre os  adultos, o índice fica  em menos da metade.

Verdade: A rotatividade é maior entre os jovens.

72,4% dos jovens saem de seus postos de trabalho ao longo do ano. Entre os trabalhadores mais velhos, apenas 41,3% pedem demissão ou são desligados.

Mito: Os jovens roubam as vagas dos trabalhadores mais velhos

A taxa de substituição de trabalhadores mais velhos por trabalhadores jovens não ultrapassa os 5%.

Mito: Os contratos dos jovens são mais precários

A proporção de contratos temporários é semelhante entre os trabalhadores jovens e adultos.

Mito: Os jovens saem do trabalho porque pedem demissão

Tanto entre os profissionais jovens quanto entre os mais velhos, a maior parte dos desligamentos acontece por iniciativa da empresa.

Os jovens tem uma boa percepção em relação ao seu preparo para o mercado de trabalho, eles estão se sentindo mais seguros em relação a alguns temas e também em relação ao preparo que a instituição está proporcionando. Entretanto, sabemos que a realidade de nosso país quanto à  empregabilidade de jovens não é das melhores. Nesse caso, além de preparar esses jovens para a iniciação profissional, também é de grande importância trabalhar com eles a realidade e a competitividade do mundo do trabalho o qual eles vão enfrentar com o intuito de formar jovens conscientes e cada vez mais direcionados profissionalmente.

É preciso deixar marcas positivas, ser um diferencial em relação à legião de candidatos potenciais que brigam por uma vaga. Para isso, o jovem precisa fazer a diferença, meta atingível somente através do estudo.

-Ester Rosa.

Anúncios